Afrofilisminogravura

Na exposição AFROFILISMINOGRAVURA, lançada no dia 29 de outubro, no Centro de Cultura Adonias Filho, em Itabuna, sul da Bahia, Ayam U’Brais apresentou aos mais de 150 visitantes, vinte filisminogravuras inéditas. Por meio delas, foi representada a cultura afro-brasileira de remanescentes de quilombolas da comunidade de Porto de Trás, em Itacaré, sul da Bahia, um dos maiores quilombos urbanos do estado.

Em Itacaré, no Centro Cultural Tribo do Porto, a exposição aconteceu entre 12 e 15 de novembro. os visitantes se encantaram com a originalidade dos traços e o simbolismo das obras isnpiradas na comunidade quilombola do Porto de Trás.

“Achei interessante! Gostei do quadro da menina desenhando o siri, é a filha da minha vizinha. O perfil está perfeito.”

Ana Cláudia, moradora da comunidade quilombola do Porto de Trás.

“Eu achei muito interessante. E o das crianças jogando dominó? Cada uma com uma expressão diferente… como se a gente soubesse o que eles estão pensando, um ganhando e o outro perdendo no jogo, dá pra ver! (…) Acho que cada pessoa vindo aqui na comunidade querendo somar, só acrescenta às nossas crianças”.

Edleuza de Jesus, moradora da comunidade quilombola do Porto de Trás.

“O de Turíbio chegando de canoa no porto, com a pesca. É a cena que mais se vê no nosso cotidiano. Nada mais certo do que ter esse na parede para representar nosso modo de vida, nosso dia-a-dia, o que é o sustento de muitos daqui.”

Moradores da comunidade, sobre a escolha da obra que ficará para a comunidade.

“Achei excelente o trabalho! Primeiro, pelo fato de trabalhar com as crianças e também porque trabalha com esse cantinho de Itacaré, que é o Porto de Trás. O trabalho feito com caneta, que coisa linda! De longe parece que o quadro é feito com bico de pena, mas é caneta!”

Carmem de Barros, moradora de Itacaré.

Confira um pouco mais sobre a exposição:

http://afrofilisminogravura.wordpress.com

Todos se encantaram com as obras feitas apenas com caneta e betume no papel cartão…